Perguntas e Respostas

Quanto à higiene das embalagens retornáveis (10L e 20L):

1) O que pode causar cheiro ruim nas embalagens retornáveis (10L e 20L)?

As embalagens retornáveis, quando chegam na empresa, passam por processo de seleção rigoroso, com análise visual e de cheiro, sendo dispensados os galões que apresentam qualquer anormalidade. Ainda, após a seleção e a pré-lavagem, as embalagens passam por processo de assepsia com produtos específicos, em máquina de 5 (cinco) estágios, onde elas são ozonizadas e têm vários enxágues. Após, a água mineral sai diretamente da captação para dentro das embalagens, sem nenhum processo manual e nenhum contato humano. A água que deixa a fábrica sai perfeita, sem nenhum tipo de cheiro ou gosto.

O principal fator que pode causar cheiro ruim é o armazenamento e/ou transporte dos produtos de forma inadequada, pelos distribuidores ou nos pontos de venda. As embalagens não devem ser transportadas em caminhões que fazem transporte de produtos químicos ou que liberem odores. Os veículos devem ser furgões ou cobertos (enlonados), evitando a exposição solar. A estocagem pelos distribuidores deve ser feita em local sem contato com sol e longe de produtos que liberem odor.

Ainda que a água apresente algum cheiro, isso não significa que ela esteja estragada. A água mineral é totalmente natural e apresenta componentes que podem reagir entre si provocando a proliferação de algas (limo). Isso não significa que a água está imprópria, mas somente que as algas proliferaram e estão liberando odor característico que, algumas vezes, pode lembrar cheiros/gosto de peixe, água de coco, solventes, combustíveis e, até mesmo, medicamentos.

Na maioria das vezes esse cheiro demora algum tempo para ser sentido, período que as algas levam para se proliferarem, produzindo substâncias com cheiro. Assim, quando isso ocorre, logo que o galão é substituído a água está normal e somente após o passar dos dias é que o cheiro se apresenta.

A higienização incorreta dos bebedouros é a causa mais comum de cheiro ruim. Os bebedouros devem ser higienizados periodicamente, conforme as instruções dos manuais dos aparelhos, inclusive com a retirada e lavagem das borrachas de vedação.

2) Encontrei vestígios de material verde dentro do meu galão, o que é isso?

Conforme relatado anteriormente, a água mineral não deve ser exposta à luz solar, pois isso colabora para a multiplicação das algas naturais que fazem parte de sua composição. Isso pode provocar a criação de ‘limo’ que tem aspecto esverdeado e lembra pequenos resquícios de plantas.

As algas precisam da luz solar para fazer a fotossíntese, processo que produz a clorofila, que gera a coloração esverdeada na água.
Apesar da aparência não muito agradável e de, algumas vezes, apresentar cheiro, as algas são naturais e não fazem mal à saúde.
Essas algas, muitas vezes, acabam se alojando dentro dos bebedouros, nas mangueiras, borrachas de vedação e torneiras, migrando para os novos galões quando colocados no aparelho.

3) Quais os cuidados que devo tomar para evitar o surgimento de algas e cheiro/gosto ruim nos garrafões?

  • – manter as embalagens em local longe da luz solar ou de claridade excessiva;
  • – nunca usar seu garrafão para armazenar outros produtos, mas apenas a água mineral;
  • – não deixar os garrafões armazenados diretamente no chão;
  • – não armazenar os galões próximos de produtos que liberem odor;
  • – lavar bem as mãos antes de manipular as embalagens;
  • – ao receber o garrafão em sua casa, retirar totalmente o lacre, lavar a tampa e suas proximidades com detergente neutro, promovendo o total enxague do produto; após, passar um pano, ou uma toalha de papel, com álcool sem perfume, deixando-o evaporar completamente antes de coloca-lo no bebedouro;
  • – realizar a higienização periódica dos bebedouros, conforme instruções do fabricante, com a retirada de peças e borrachas de vedação.

Quanto ao sódio da água:

1) A Água Mineral Cristal Azul tem muito sódio em sua composição?

Não, absolutamente. A OMS recomenda o consumo máximo diário de 2g (dois gramas) de sódio por dia. A ANVISA, por sua vez, reconhece que o consumo não deve ser superior a 2400mg, ou seja, 2,4g. Alguns estudos apontam que indivíduos ‘normais’ poderiam consumir até 3000mg (3g) de sódio por dia, enquanto que pessoas com hipertensão arterial deveriam consumir, no máximo, 2300mg de sódio por dia 1.

Segundo a Food Nutrition Board, a recomendação diária de ingestão para adultos é de 2400mg, o mesmo valor apontado pela ANVISA.
Para atingir a recomendação de consumo diário de sódio ao tomar água um indivíduo teria de consumir, por dia, quase 30 (trinta) litros de água mineral Cristal Azul.

Ainda que alguém fosse capaz de consumir essa quantidade de água, o próprio organismo eliminaria os excessos, buscando a regulação dos líquidos corporais, gerando, por consequência, a eliminação de sódio na urina.

Apesar de alguns pontos de divergência, estima-se que um adulto deva consumir, em média, 2 litros de água por dia para manter as funções do organismo em perfeito funcionamento.

Ao consumir 2 litros de Água Mineral Cristal Azul por dia, caso o indivíduo não eliminasse sódio pela urina (o que é impossível), estar-se-ia consumindo apenas 8% (oito por cento) da recomendação de ingestão diária, considerando o menor parâmetro, da OMS.

Lembre-se, ainda, que quanto mais água consumimos, mais o nosso organismo produz urina, eliminando toxinas e eventuais ‘sobras’, dentre elas o excesso sódio. Estabelece-se aí um ‘círculo virtuoso’.

Observe as embalagens de produtos industrializados, com atenção, para verificar como a quantidade de sódio contida nas águas minerais é insignificante.

Não se pode esquecer que a quantidade exposta na embalagem de água é correspondente à medida de 1 litro, enquanto nos refrigerantes, sucos e outros industrializados, normalmente, corresponde a 1 copo, ou seja, 200ml.

De qualquer forma, o sódio constante na água mineral é obtido de seu contado com as rochas do solo, pelo período de permanência da água no lençol, o que a torna mais ou menos mineralizada.

É importante lembrar, ainda, que a quantidade de sódio permitida pela ANVISA para as águas minerais é de até 600mg/L.
A ANVISA realizou pesquisa de teor de sódio dos alimentos, estabelecendo quais deles tinham quantidades excessivas e que deveriam ser consideradas e diminuídas.

Comprova-se a insignificância da quantidade de sódio presente na água mineral analisando-se que um pacote de sopa pronta tem, em sua composição, 4.240mg/100g (quatro mil duzentos e quarenta miligramas em cem gramas) 2.

Ainda, é a perfeita combinação de bicarbonato e de sódio, dentre todos os outros minerais (potássio e magnésio, principalmente), que tornam a Água Mineral Cristal Azul alcalina. Tudo isso feito pela natureza para a sua saúde.

Outra questão que deve ser considerada é que a Água Mineral Cristal Azul tem potássio e magnésio em sua composição, minerais que agem relaxando as artérias e evitando o aumento da pressão, efeitos que são atribuídos ao uso excessivo (mais de 2g ao dia) de sódio 3. Leia mais no tópico que fala sobre o mineral sódio.

Isso fulmina o mito de que a água mineral tem sódio em excesso!!!


Fonte:
1 The sixth report of the Joint National Committee on prevention, detection, evaluation, and treatment of high blood pressure. National Institutes of Health, NIH Publication, 1997.
2 http://portal.anvisa.gov.br/wps/content/anvisa+portal/anvisa/sala+de+imprensa/menu+-+noticias+anos/2013+noticias/informe+tecnico++teor+de+sodio+nos+alimentos+processados
3 Revista Saúde. Edição nº 382, outubro 2014. Editora Abril. p. 31.